INÍCIO ARTIGOS ESPÉCIES GALERIA SOBRE EQUIPE PARCEIROS CONTATO
 
 
    Espécies
 
Hidras  
Tratamento para Hidras em Aquários de Água Doce  



Segue um pequeno artigo baseado em uma experiência com Hidras verdes que pipocaram no meu aquário de Camarões, o surto aconteceu pois por puro descuido não esterelizei 2 Cryptos que trouxe para casa...

Nome científico: Chlorohydra viridissima

Reino: Animalia
Filo: Cnidaria
Classe: Hydrozoa
Ordem: Anthomedusae
Família: Hydridae
Género: Hydra

O que são Hidras ?

Hidras são Celenterados (ou cnidários) com formato de pólipos, encontradas em água doce, fria e limpa, nos aquários se prendem a plantas, algas, pedras e nos vidros, por uma de suas extremidades, são pequenas com no máximo 30 milímetros elas podem se movimentar ativamente pelo aquário, dando "cambalhotas", as que encontrei no meu aquário eram da cor verde devido às zooclorelas, pequenas algas que vivem em simbiose nas células da pele das hidras.





Macrofotografia de Hidras. Fotos gentilmente cedidas por Daniel Stoupin.


Reprodução

Elas podem se reproduzir Sexuada e Assexuadamente, no primeiro caso o macho fertiliza a fêmea da boa e velha maneira que todos sabemos, já na maneira assexuada a Hidra solta pequenos "brotos" que se soltam do corpo da mãe e viram novas hydras ! É elas não estão pra brincadeira. E por observação eu vi que 80% das hidras do meu aquário eram mães solteiras, independentes donas do próprio nariz, soltando brotinhos para todos os lados.


Hidra se reproduzindo por brotação. Foto de Walther Ishikawa.


Pequenos pólipos em um galho submerso, gerados por reprodução sexuada. Foto de Walther Ishikawa.

E como elas aparecem no Aquário ??

As Hidras vêm para os nossos aquários como a maioria dos seres, nas plantas, nas pedras, nos troncos. Enfim onde elas puderem se prender! Elas são minúsculas e é muito complicado vê-las a olho nú, já que também são verdes passam desapercebidas nas folhas de uma Anúbia ou de um Cryptocorine, por exemplo. As minhas vieram em uma Crypto que ganhei de um amigo (mui amigo!).

E elas são perigosas aos habitantes dos aquários ?

Assuntinho hein?? Não e sim! Não, em aquários comunitários, sim em aquários de invertebrados como camarões. Nos aquários comunitários ou de peixes elas são inofensivas e dificilmente sobrevivem muito tempo, pois os peixes gostam de petisca-las, fiz alguns testes e os neons as comeram de bom grado. Portanto se as ver em um aquário plantado inicial que terá peixes ou no seu comunitário, deixe as lá, farão parte da biologia natural do aquário e entrarão em equilíbrio com a fauna, e confesso que achei elas realmente muito interessantes. Agora nos aquários de camarões a história é outra...

Elas são predadoras, vorazes e como suas primas anêmonas possuem ferrões de veneno nos seus tentáculos, que quando em contato com a vítima a paraliza para ser devorada! Não, ela não irão capturar seu Red Crystal Grade A adulto e comê-lo, mas poderá fazer isso com os filhotes tranquilamente. No meu aquário vi uma se alimentando de um Ostracoda! Realmente elas fazem o serviço! Agora, elas não seriam problemas se existisse predação a elas no aquário, só que não temos peixes nestes aquários (de camarões... Não comumente pois eles comeriam os filhotes) e ai elas se multiplicam alucinadamente e neste caso podem fazer estragos comendo ninhadas inteiras.


Dois pequenos copépodes podem ser vistos no interior da Hidra maior. Foto de Walther Ishikawa.

E como evitá-las ?

Sempre limpando ao máximo as plantas e pedras que ira adicionar no aquário, até mesmo uma ampulária deve ser limpa (não com cloro...né!) pois elas usaram a minha para pegar carona. Plantas você pode utilizar permanganato de potássio (o que fica roxo), hipoclorito de sódio (que é usado para lavar saladas), água sanitária, flourish excel, claro todos em banhos rápidos para não matar a planta.
Pedras e troncos sempre fervidos e com sal de preferência, claro depois esfregar o que puder. Com estas medidas você evita em 90% as chances delas virem a morar em seu aquário.


Foto de Walther Ishikawa.

E quando já tenho Hidras do Aquário ?

Se isto acontecer, é motivo para fica histérico, é muito grave!!! Morte a todos os camarões e espécies de animais da sua casa em 3 dias!!! Fuja!!!! Salve sua vida !!.......... Sempre quis falar isso em uma matéria! Mas falando sério, não é motivo para preocupações, devemos então seguir um tratamento com cuidado. Existem 2 tratamentos possíveis, um exige a paciência de um sábio Chinês que conta grãos de areia na praia... E outro um pouco mais alopata, mas que demanda um certo cuidado.

Método 1 - Flourish Excel

Não vou me ater as propriedades químicas dos aldeidos, que é o do que o Excel é composto, mas ele tem uma função biocida quando em doses concentradas, e muito utilizado para infestações com petecas pois consegue praticamente derrete-las. Não achei nada sobre o Excel X Hidras e testei. Funciona! Esta é a boa notícia. A má notícia é que é necessário aplicar em cima das danadas, o que realmente é um trabalho enfadonho, chato, monótono e sem graça. Pois você deve aplicar uma dose pequena sobre a infestação e aguardar, só que não pode ser demais ou repetir inúmeras vezes pois você pode desequilibrar o aquário, então leva-se dias, mas é visível o recuo e quando elas realmente morrem.

Método 2 - Febendazole

Neste caso, é alopatia da braba! O Febendazole é um Anti-Helmíntico de uso veterinário, é utilizado para erradicar vermes em cachorros, bovino e suínos, comercialmente o nome do remédio é Panacur.



Não é caro e é possível acha-lo em quase todas as Pet-Shops, me custou algo perto de R$ 15,00 e vem uma caixinha com 6 comprimidos de 500mg. É seguro, apesar de que todos devem estar pensando "tá louco colocar um vermífugo para os meus camarões!!!!!!" Realmente, numa dose alta deve causar problemas, mas a dose para paras as hydras é realmente muito pequena e não causou nenhum mal, inclusive aos filhotes. Claro me deu um frio na barriga afinal eu só vi relatos na internet (é um tratamento bem conhecido) mas tinha que tentar.

Neste momento agradeço ao amigo Magro que estava no MSN comigo no momento que eu estava fracionando e adicionando o remédio falando "mata as miserentas sem medo!" palavras bonitas que me fizeram seguir.

Administração

Existem 1000 maneiras de preparar neston, e achei um monte de "razões" para diluição e aplicação do remédio na internet e ai com a ajuda do Magro utilizei esta.

Utilizei água purificada, DO, que você compra em farmácia para dilumir 1/2 comprimido (250mg) em 250ml de água conseguindo uma solução 1 mg da solução por 1 ml, com uma seringa utilizei a razão de 10ml para cada 10 litros.



Esta conta não é certeira, aliás esta dosagem é beeeem conservadora, afinal são 10mg para 10 litros e em alguns sites tem até 100mg, o que eu considerei meio exagerado. Outra observação, o remédio é chato para dissolver portanto se puder moer antes o comprimido ou compra-lo em gotas (tem...só vi depois) que ai fica mais fácil de administrar.


Obs: Não tinha ainda 250ml de água no copo.

Adicionei no aquário utilizando uma seringa, tentando mirar nas Hidras, que rapidamente se fecharam e não mais abriram. No dia seguinte apenas algumas estavam abertas e no terceiro dia não achei mais nenhuma.

Fiz uma TPA de 50% e coloquei carvão ativado no filtro para remover qualquer vestígio. Fiz outra TPA de 10% no dia seguinte. Não ocorreram baixas.

O tratamento foi eficaz, não tive reinfestação e nem baixas de outros animais como Ostracodas (recontei todos e depois chamei pelos nomes) ou caramujos, a biologia não foi afetada. Inclusive é um excelente tratamento também para planárias.

Fontes:
Wikipedia
 Aquatic Plant Central


Artigo escrito por Fábio Burgarelli


Agradecimentos ao zoólogo e fotógrafo Daniel Stoupin, pela cessão de algumas fotos. Ele mantém uma fantástica página sobre macrofotografia,  Microworlds .

 
« Voltar  
 

Planeta Invertebrados Brasil - © 2018 Todos os direitos reservados

Desenvolvimento de sites: GV8 SITES & SISTEMAS